Julieta Negra
Sou livro e filme, música e vinho, raiva e emoção, sensatez-errante e cabelo assanhado, palavrão, grito ou sussurro. Sou o estímulo que tenho.
Se doeu tem que falar. Se incomodou tem que explicar. Se tá ruim tem que ajeitar. Se estragou tem que consertar. Ou então joga fora. Entende? Não dá pra passar a vida inteira com as coisas entaladas na garganta, feito espinha de peixe que não desce e arranha toda vez que a gente engole.”
Clarissa Corrêa.    (via atribuidor)
Daí você acorda e vê que assim não dá.
Mera mudança não é crescimento. Crescimento é a síntese de mudança e continuidade, e onde não há continuidade não há crescimento.”
C. S. Lewis  (via nevou)
A alma é uma coleção de belos quadros adormecidos, os rostos envoltos em sombras. Sua beleza é triste e nostálgica porque, sendo moradores da alma, sonhos, eles não existem do lado de fora. Vez por outra, entretanto, defrontamo-nos com um rosto que, sem razões, faz a bela cena acordar. E somos possuídos pela certeza de que esse rosto que os olhos contemplam é o mesmo que, no quadro, está escondido pela sombra. O corpo estremece. Está apaixonado.”
Rubem Alves, no livro “Do universo à jabuticaba”. São Paulo: Planeta do Brasil, 2010, p. 37.  (via nevou)
Só queria dormir com ela, no sentido mais inocente da palavra. Mas eu não tinha coragem. Ela tinha um namorado. Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuvas, eu era a garoa e ela, um furacão.”
Quem é você, Alasca?  (via romanceais)
A gente vai contra a corrente até não poder resistir. Na volta do barco é que sente, o quanto deixou de cumprir.”
Chico Buarque.  (via oxigenio-dapalavra)
Dela herdei apenas o frio do inverno e a marca do cigarro, madrugadas acordado e meses de pigarro, um ar soturno no canto do riso, em meu peito gravado um eterno aviso e o novo desafio de aprender a confiar.”
Transtorno Poético.  (via oxigenio-dapalavra)
Quando eu me afasto, é porque eu quero que você se aproxime.”
Tati Bernardi  (via promessasvazias)
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.”
Pablo Neruda.  (via oxigenio-dapalavra)
Mas sabe, eu te amo e não é pouco, é você que eu vejo nos meus sonhos, é com você que eu imagino meu futuro, todos meus planos incluem você, eu quero construir uma vida ao seu lado e te fazer feliz, porque você é o motivo da minha felicidade, dos meus sorriso e do meu coração bater mais forte sempre que escuto algo relacionado a você. Sabe quando conhece uma pessoa e ela se encaixa absolutamente em tudo que você sempre sonhou? Então, foi exatamente assim que aconteceu, entende que é só você? Entende que é o seu amor que eu quero? Outra pessoa não serve, tem que ser você.”
Aventurador.    (via romanceais)
Eu sou vários. Há multidões em mim. Na mesa de minha alma sentam-se muitos, e eu sou todos eles. Há um velho, uma criança, um sábio, um tolo. Você nunca saberá com quem está sentado ou quanto tempo permanecerá com cada um de mim. Mas prometo que, se nos sentarmos à mesa, nesse ritual sagrado eu lhe entregarei ao menos um dos tantos que sou, e correrei os riscos de estarmos juntos no mesmo plano. Desde logo, evite ilusões: também tenho um lado mau, ruim, que tento manter preso e que quando se solta me envergonha. Não sou santo, nem exemplo, infelizmente. Entre tantos, um dia me descubro, um dia serei eu mesmo, definitivamente. Como já foi dito: ouse conquistar a ti mesmo.”
Friedrich Nietzsche.  (via tipografado)
Mas eu nunca fui o tipo de gente que olha pra beleza e venera. Porque eu acho isso bobagem, porque a paisagem de dentro é sempre mais bonita. E se você me fala que fulano é lindo por causa do olho de cor diferente, por causa do sorriso branco, ou por causa do físico perfeito, eu sou obrigado a rir e dizer que nada disso vale um amor pra anos, um amor de anos: o exterior sempre perde para o tempo, sempre sucumbe à falta de maquiagem e à falta de mundo.”
Floresinexatas. (via passaropreto)
Mudei.
Mudei muito.
Às vezes sinto a minha falta.
Mas outras vezes acho que foi um alívio.”
Caio Fernando Abreu (via p-o-e-s-i-a-s)
Aqui dentro
do meu peito
inventei
muitos jeitos
de amar você.”
Verseto (via p-o-e-s-i-a-s)
O pecado não morava ao lado, mas sim na rua Notting Hill, em Londres. Ela era minha vizinha, tinha 18 e todos os dias passava pela minha rua. Com aqueles cabelos pretos, longos caídos pelo ombro, vestindo sempre aqueles vestidinhos floridos, sapatinhos vermelhos, que de longe chamava a atenção. Sempre no mesmo horário, às 17 horas da tarde, lá estava ela, desfilando pela calçada com toda aquela delicadeza, deixando vestígios do seu perfume doce - admito que era o perfume mais gostoso que já havia sentido. Todo sábado depois do almoço ela aparecia no meu portão com uma camiseta desleixada sem imaginar que eu já a aguardava desde o café da manhã. E bastava ela se aproximar pra que me sentisse mais vivo, os olhos ficavam mais atentos e todo detalhe parecia irremediavelmente perfeito, era uma ansiedade quase vital para que o sangue corressem pelas veias. Mas o que será que ela carregava no seu peito? Perto dela era como se eu desvendasse o meu passado, as angustias escapassem do corpo e as dores tão guardadas descem vazão um doce aroma rarefeito, contido nela. Eu respirava fundo e sentados no balanço da varanda despíamos o mundo que se calava, éramos apenas nós. É inexplicável como o tempo parecia infinito e era capaz de transformar apenas um par de horas em momentos de eterna duração.”
Amarguisses & Oxigênio-dapalavra em"Eu achei dentro dela o meu coração."
(via oxigenio-dapalavra)